Coisas de Nós Negros!

"Mantenha sempre seu queixo distante dos ombros!" Coisas do Negro Alfredo, meu avô, ditas à menina de sete anos que, de mãos dadas com aquele homem altivo de um metro e oitenta, caminhava a passos largos rumo à escola estadual em que ela estudava e ele era inspetor de alunos.
"Seja forte" era o mantra materno diário, Coisas da Negra Cleuza, mãe espirituosa e grande construtora de minha auto (e exagerada) estima.
"Seja inteligente consigo mesma!" Coisas do Negro Dito, meu pai amado, que aos oitenta anos verbaliza-me a frase a cada diálogo sobre conflito político, profissional, financeiro ou corintiano
como que certificando que fez um bom trabalho na educação de todos nós.
Lamento que este tema não seja abordado nas rodas sociais, motivo pelo qual tantas pessoas desconheçam a riqueza da simbologia destas três palavras ancestrais: Coisas de Negro!
A gente esclarece na intenção de minimizar a tendência à ignorância intelectual de uns e moral de outros. Vamos lá:
Coisas de Negro para mim é respeitar os mais velhos, pedir a benção àqueles que vieram antes de mim e prepararam o caminho para meus netos; é pedir licença, dizer sempre obrigada; expressar bom dia, boa tarde, boa noite aos que estão a meu redor; é sempre que pedir acrescentar um "por favor"; é agradecer sempre elevando o olhar para o alto; é fazer escolhas e não interferir na escolha alheia!  Sandra Regina, historiadora, relata que Coisas de Negro era passar o final de semana na casa dos avós, a mágica benção dos mais idosos, e as brincadeiras com os primos no quintal maravilhoso cenário da liberdade criativa  e emoções inesquecíveis!
Luanda Oliveira, estudante de direito, descreve Coisas de Negro como momentos em que um clássico da música black  levanta todos na festa familiar e os faz dançar, ritmados,  com passo marcado e idêntico gingado, como que a repetir cenas do passado milenar!
Samara Santos, nutricionista, define Coisas de Negro na imagem da família reunida, no respeito aos mais velhos, proximidade dos primos, avós ajudando a criar netos e educando com limites, festas com música e dança, alegria e contemplação da união.
João Paulo Nascimento, engenheiro e músico,  compreende Coisas de Negro na consciência da ancestralidade e no compromisso com a construção de uma sociedade melhor, através do conhecimento de seus direitos como cidadão, sua musicalidade e respeito a seu público.
Para nós Santos, Silva, Oliveira, Nascimento, Barbosa, Jordão, Hilário a expressão "Coisas de Negro"  é de tal profundidade e argumento histórico pessoal e familiar, que para ser citado por outros requer pesquisa, estudo, imersão nos dados da formação cultural e familiar de cada um de nós, negros, pois afinal só nós sabemos das coisas nossas!!!
A partir daqui é esperado que, se necessário, nos perguntem: O que é coisa de negro?
E orgulhosamente estaremos prontos a responder.
Celma
10/11/2017

Africanize sua consciência!

Verbalizar os valores de nossa ancestralidade fortalece a auto estima, conduz à grandes vitórias e amplia nossos horizontes!
No mês da consciência negra nada melhor que conhecer suas origens e compreender seu destino pessoal, conjugar o verbo africanizar consigo e com aqueles a seu redor, nos faz perceber o quão extensa é a influência da cultura negra na atual sociedade!
Seja ousado, criativo, corajoso e coletivo! Novembro é o mês em que celebramos a força de Zumbi no Quilombo de Palmares, sua organização, sua influência, e principalmente sua determinação em garantir e perpetuar a liberdade humana.
Africanizar-se é, na minha opinião, fazer um inventário pessoal e detectar as características, valores, palavras, atitudes, movimentos, comportamentos, hábitos e conceitos africanos inseridos em sua formação. No mínimo, ao final do dia 30 do mês, haverá um Zumbi de Palmares habitando em seu interior...organizando, perpetuando, garantindo sua liberdade!
Celma Santos



 (imagens: extraídas da Internet)

Toque-se, Ame-se!

Outubro é o mês em que nos alertamos sobre a prevenção do cancêr de mama!
O amor à vida está no valor do toque em si mesma, de conhecer-se melhor e buscar orientação médica caso constate alguma alteração no seu auto-exame.
Cada uma de nós mulheres é salva quando motivamos alguém a cuidar-se, a tocar-se, a prevenir-se! Reunir a família, as amigas, conversar sobre o assunto é expressão de amor...
Abrace esta bandeira! O Amor cura e a Prevenção salva!

Como fazer o auto-exame:

Atenção a estes sinais:
 Em Outubro-Rosa  sejamos  unidas e fortes para que a Campanha de Prevenção ao Cancêr de Mama alcance a todas as mulheres no universo!
Celma Felipe